,

QUEM É VOCÊ? A QUEM ESTÃO PROCURANDO? – NOTAS DO I RETIRO PROVINCIAL ANUAL

Foram com essas premissas interrogativas que iniciamos a nossa caminhada com a Irmã Áurea em nosso primeiro retiro provincial de 2019. Estivemos, assim, reunidos em Lagoa Seca dos dias 29 de julho à 02 de agosto, iniciando com uma breve exposição do peregrinar ao lado de João Batista, o precursor do Messias, nos escritos de João Evangelista.

A nossa peregrinação em busca do encontro com o Messias que fora anunciado por João é, ao mesmo passo que, procurar pela nossa identidade. João anuncia o Cordeiro de Deus e, dessa forma, como seguidores de Cristo, temos o dever de apontar e de anunciar o Cordeiro que nos chama ao seguimento e que nos motiva a caminhar. Jesus não anuncia a si mesmo, mas é João que o anuncia e ainda prepara os discípulos para o seguimento do Cordeiro. E, este Cordeiro, não é status de vida, mas sinal de doação de si para martírio pelo outro.

Aderir o caminho do Cordeiro, não somente pela novidade, mas na exigência de querer doar a sua vida da mesma forma como João anunciou. Dessa forma, vivemos as consequências deste caminho, onde não responderei que não posso fazer outras coisas, é assumir as que estou realizando e dizer que não faço outras ações contrárias pelo simples fato de não querer. É assumir com convicção o que abracei neste caminho.

Desta forma, é correto dizer: quero, assumo, não quero e não somente não posso, posso. Esta forma abrange a espiritualidade do chamado que João nos convida: Uma vida e missão com o Cordeiro.

Quem encontra com o Messias não pensa em outra coisa a não ser estar com Ele. Assume-se esse caminho e não pensa em outro e em muito menos em voltar atrás. Abandona-se tudo e a todos, e vive-se plenamente para Ele.

Aquele que encontra e aponta ao Messias para os seus, pode dar cinco pistas, um caminho de cinco passos do peregrinar no caminho da doação total da nossa vida, na capacidade de nos relacionarmos com toda a criação:

  1. Fraternidade – partilha de dons e serviços, reconhecer as virtudes, buscar a perfeição em comum;
  2. Alegria interior – sem depender de eventos, é a paz interior, é ter e amar a experiência da sede do verdadeiro amor;
  3. Humildade – capacidade para reconstruir-se, não nos deixa com vergonha de nossas fraquezas, nos coloca no encontro generoso com a minha verdade, não é o massacre de mim mesmo, é o desejo de mudar;
  4. Oração – uma vida permeada pela gratidão a Deus, é pessoal e comunitária, busca contemplar o mundo com o olhar de Deus, e escutar sua voz e seus sinais no mundo através dos outros;
  5. Contemplar a humanidade do Cordeiro – Presépio, Cruz e Eucaristia – locais onde podemos dizer que encontramos, também, ao Messias.

Nesse caminho de procura e encontro é bom refletir quais são as mudanças significativas que queremos. É necessário sairmos sempre de nós mesmos, de nosso narcisismo interior, nos desinstalar. Sair da abundância vaga e ver que a mesma, muitas vezes, não sacia a nossa escassez.

 

Frei Willames Batista