s antonio12Foi em 1220 que Fernando saiu do mosteiro agostiniano e entrou na Ordem franciscana. E como o conventinho dos frades em Coimbra tinha como padroeiro o eremita Santo Antão, foi esse o nome que Fernando recebeu agora como frade menor: Antônio. O costume de mudar o nome tem fundamento bíblico e quer significar começo de uma nova vida, com uma nova identidade. Logo Antonio manifestou o desejo de ser missionário no Marrocos, mostrando assim que o exemplo dos cinco mártires franciscanos marcou profundamente a sua vida.

Pelo fim de 1220 recebeu a licença de seus superiores e partiu para o Marrocos em companhia de outro frade de nome Filipe. Chegou ao Marrocos, mas adoeceu de uma doença febril por um longo período no ano de 1221. Foi aconselhado a voltar para a terra natal e na viagem de regresso, mesmo não sendo tempo de tempestades, um forte vento arrastou o barco para a costa da Sicília, Itália, ao invés de ir para Espanha ou Portugal.

Acolhido pelos frades em Messina, na Sicília, foi compreendendo os caminhos misteriosos da vontade de Deus e humildemente submetendo-se à Sua vontade.

No fim de maio de 1221, Antônio participou do Capítulo geral da Ordem, em Assis, vindo a conhecer São Francisco. Após o Capitulo, Antônio é designado para morar no norte da Itália. No conventinho de Monte Paolo, viveu uma vida de recolhimento e também assumiu as tarefas de lavar a louça e limpar o chão.

Neste contexto de vida de oração e trabalhos humildes é convocado para receber a ordenação sacerdotal, em 1222. E é justamente na festa de ordenação, na hora da refeição festiva que é convocado pelo superior para fazer uma pregação improvisada. Sua pregação impressionou a todos e a partir daí, foi designado para a atividade do apostolado e da pregação.

Antônio experimenta na própria pele a palavra do Senhor no Evangelho: “Quem se eleva será humilhado, e quem se humilha será exaltado” (Lc 14,11).

Para quem pretendia ser mártir no Marrocos e teve de tomar caminhos tão diversos, entende que a vontade de Deus só pode ser compreendida pelos humildes. Daí dizer que “a humildade é a mãe e a raiz de todas as virtudes”.