s antonio28“Ele veio a ti para poderes ir a Ele”. Essa afirmação é o centro do pensamento e da espiritualidade de Santo Antônio. De fato, a espiritualidade franciscana firma-se em duas colunas: a encarnação (Natal do Senhor) e a redenção (Mistério Pascal). Santo Antônio reforça de modo muito próprio a riqueza da espiritualidade de São Francisco e Santa Clara. Por isso podemos falar em espiritualidade antoniana.

Santo Antônio nos mostra a bondade do Senhor que assumindo a condição humana, no seio de Maria, trouxe-nos a salvação e nos habilitou como filhos de Deus: “Para nós homens Te tornaste homem, a fim de nos salvar. Pelo que sofreste, aprendeste a misericórdia. A nenhum anjo podemos dizer: Eis que és nosso osso e nossa carne; mas a Ti, Filho de Deus, na verdade podemos dizer: És nosso osso e nossa carne, pois assumiste não a natureza dos anjos, mas a natureza dos descendentes de Abraão. Tem, pois, piedade de nós, que somos teu osso e tua carne. Quem por acaso odiou sua carne? Tu, porém, és nosso irmão e nossa carne; por isso deves ter misericórdia e compaixão com teus pobres irmãos, pois temos um só Pai, Tu e nós – Tu pela natureza e nós pela graça. Tens poder na casa de teu Pai, não nos expulseis daquela santa herança, um vez que somos na verdade teu osso e tua carne. Antigamente os filhos de Israel transportaram os ossos de José para a terra prometida; tira-nos também – teu osso e tua carne – destas trevas do Egito e leva-nos para a terra dos santos”.

Antônio anuncia com entusiasmo e alegria o mistério da encarnação que é o coração da fé cristã, pois nele se revela aquela iniciativa amorosa de Deus descrita por São João da seguinte forma: “Nisto consiste o amor, não fomos nós que amamos a Deus, mas foi ele que nos amou, e nos enviou o seu Filho como vítima expiatória por nossos pecados” (1Jo 4,10).

Pela encarnação de Jesus no seio da Virgem Maria, Deus veio a nós para que nós possamos ir até Ele. Neste ensinamento de Santo Antônio encontramos o próprio ensinamento do Evangelho quando Jesus diz: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim” (Jo 14, 6).