,

APELO À ORAÇÃO PELA PAZ NA UCRÂNIA DO VIGÁRIO GERAL DA OFM

Em comunhão com todos os esforços políticos para diminuir a tensão, convidamos toda a Família Franciscana em comunhão com o Papa Francisco e toda a Igreja […] ”. Este é o convite à oração do Vigário Geral da Ordem, Fr. Isauro Ulises Covili Linfati, dirigido a toda a Família Franciscana e às pessoas de boa vontade.

Deve-se lembrar que este convite se soma a muitos outros, como o apelo do Papa Francisco ao mundo durante a oração do Angelus no domingo, 13 de fevereiro de 2022, na qual o Santo Padre pronunciou palavras de reconciliação e paz, pedindo a todos o compromisso de oração incessante: “ As notícias da Ucrânia são muito preocupantes. Confio todos os esforços pela paz à intercessão da Virgem Maria e à consciência dos dirigentes políticos. Rezemos em silêncio”.

PAZ PARA A UCRÂNIA

Caros irmãos e irmãs na vida franciscana e em comunhão com todos os que trabalham pela paz, motivados por Jesus Cristo, Príncipe da Paz, nosso irmão Francisco de Assis, portador da paz e fonte de inspiração para construir uma sociedade e vida política, convidamos você a intensificar nossa oração e compromisso pela paz e pela justiça diante da crise que se desenvolve entre esses países.

Se olharmos mais de perto para o nosso mundo em rápida mudança, percebemos que as relações sociais, políticas e econômicas entre os povos estão se tornando mais frágeis e complexas. Isso compromete a coexistência pacífica e a boa vizinhança entre e dentro dos países.

Nós, franciscanos, acompanhamos com grande atenção e preocupação a crescente tensão entre a Rússia e a Ucrânia. Embora tenha havido alguns sinais positivos nos últimos dias, o conflito ainda está presente.

Em comunhão com todos os esforços políticos para diminuir a tensão, convidamos toda a Família Franciscana em comunhão com o Papa Francisco e toda a Igreja:

  1. Unir-se em oração pela paz e pelo progresso para todos os povos, especialmente hoje para a Rússia e a Ucrânia. Que a vida de São Francisco e sua advertência 15 nos ajude a rezar com o povo de Deus: “Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus (Mt 5,9). Essas pessoas são verdadeiramente pacificadores que, independentemente dos que sofrem neste mundo, preservam a paz do espírito e do corpo por amor de nosso Senhor Jesus Cristo” . Que nós, irmãos e irmãs, onde quer que estejamos, sejamos promotores de justiça, missionários e pacificadores (Lc 10,5), vencendo constantemente o mal com o bem.
  2. Estar bem informado sobre a crise entre os dois países e a posição das grandes potências, em particular o seu próprio país, e não sobrepor interesses econômicos ou quaisquer outros, mas respeitar a soberania da Ucrânia.
  3. Advogar junto à sociedade civil para que os presidentes dos países envolvidos e aqueles que apóiam um ou outro e as organizações internacionais façam os melhores esforços para garantir que a ameaça de guerra seja levantada e que uma paz mais duradoura floresça novamente.

Que a paz prevaleça na Terra.

Fr. Isauro Covili Linfati, ofm

Vigário Geral

Roma, 17 de fevereiro de 2022