,

A RESTAURAÇÃO FEITA PELOS FRADES ALEMÃES É APRESENTADA NO QUINTO DIA DO CURSO DE FRANCISCANISMO

O quinto dia de Encontro do Curso Interprovincial de Franciscanismo, deu início com a assessoria de Taciana Santiago que apresentou o tema: “Caminhos do mundo, espaços e almas a conquistar, tendo como base a presença dos frades alemães no Brasil”. Taciana começou ressaltando o quanto em sua área de estudo (que é a arquitetura) são ainda desconhecidos estudos voltados à presença dos frades alemães no Nordeste do País. Há 13 anos a doutoranda viaja com um grupo de estudos pelos Conventos Coloniais e também Conventos construídos pelos alemães  do território da Província Franciscana de Santo Antônio e também nos espalhados pelo Sul e Sudeste para agregar conhecimentos quanto à história dos franciscanos alemães e suas intervenções nas construções. “É importante lembrar que toda este processo na busca de entender a presença dos freis alemães no Brasil vão, desde a história dos conventos construídos por eles, até os trabalhos feitos pelos mesmos voltados a comunicação, as obra de artes, as músicas, as fotografias, os livros etc” frisou Taciane ao falar sobre seu processo de pesquisa. 

A assessora foi também partilhando com os participantes sobre os textos e fotografias que a mesma teve acesso para o seu projeto. Partilhando sobre as primeiras crônicas e os escritos dos primeiros frades que chegaram para restauração impelidos pelo desejo missionário franciscano, Taciane trouxe detalhes que mostram impressões positivas e desafios dos frades quanto aos Conventos e a chegada no País que carregava suas belezas naturais sendo relatados pelos mesmo como que um Paraíso, mas ao mesmo tempo uma visão negativa se instaurava com os sinais de sujeira, o calor, gritarias e dificuldades. Os religiosos chegavam em uma nova realidade onde o abraço era muito comum, as proximidades das pessoas antes das celebrações eram presentes, e as celebrações pareciam bem mais uma festa. 

Os Conventos antes abandonados e, como foi descritos pelos frades em suas crônicas, encontrados como lugares sujos, bagunçados, escuros e etc, foram sendo ocupados pelos alemães dando vida aos espaços sagrados com cuidado quanto a iluminação, a criação de espaço confortáveis, ventilação, saneamento, higienismo, etc. Ao longo dos anos, os frades foram se aproximando da cultura local e fazendo parte dela. Podemos encontrar estes fatos nas fotografias juntos aos indígenas, ao candomblé na Bahia. Essa aproximação se deu de maneira tal que os frades chegaram levar obras para a Alemanha para serem expostas e mostrar a cultura brasileira.

A parte da manhã foi encerrada com a resposta de algumas perguntas apresentadas pelos participantes.

O quinto dia, que foi dedicado à presença dos frades alemães na história do franciscanismo no Norte e Nordeste do Brasil, continuou à tarde com a presença de Paula Ruas que, em sua assessoria, trouxe a temática da pedagogia dos frades provindos da Alemanha para restauração do Brasil. A professora estuda sobre o Franciscanismo desde o início de seus estudos acadêmicos, mas foi no seu Mestrado que a mesma se dedicou ao tema que foi apresentado na assessoria. 

Paula, que também é terceira franciscana, iniciou sua fala fazendo um resgate da origem do Carisma junto a Francisco em Assis. Desta cidade na Itália, os frades se espalharam pela Europa e pelas Américas, até chegar em nosso País. Paula lembrou o que dizia Gilberto Freire, “Aqui a educação franciscana madrugou”. “Para o processo de revitalização da Província de Santo Antônio, não poderia ser por outro caminho a não ser pela educação.” apresentou a assessora, ao lembrar que os frades alemães tinha como um dos objetivos principais encontrar ferramentas de educação, como a criação de colégios para a formação dos frades. De início houve um choque cultural entre os frades europeus e os frades brasileiros com a população local, mas em meio a tantas dificuldades ,se encontravam, através do ensino com qualidade, possibilidades de um crescimento cultural e intelectual, fazendo um processo de ressignificação cultural e social dos locais onde as escolas eram instaladas.

Além de Paula, a programação do dia 28 contou com a presença de George Couto, que é Mestre e doutorando. O seu tema é voltado para a presença dos Frades Alemães no Baixo Amazonas, dando um destaque no protagonismo político e educacional de Frei Amando Bahlman. O frade alemão que foi Bispo no Baixo Amazonas. Ao chegar na região carregava o grande intuito de construir escolas e hospitais para atender a população, trazendo o que já era presente no Nordeste. Na busca por religiosas, chegando a fundar junto com outras religiosas as Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição. O intuito do mesmo era também fazer desenvolver na região a sociedade para que todos se tornassem autônomos em seus serviços e pudessem também construir uma sociedade melhor. “Somos muito gratos pela presença dos Franciscanos em nossa região” concluiu George.