,

MENSAGEM DO MINISTRO PROVINCIAL SOBRE A PANDEMIA DO CORONAVIRUS

Caros confrades,
A pandemia do novo Coronavírus (COVID-19) tem nos deixado alertas e preocupados pelos efeitos que tem causado. Há tempos não presenciamos uma situação tão calamitosa como essa que alcança todo o mundo de maneira tão rápida.
Seguimos acompanhando o crescimento exponencial de infectados pelo mundo e o quanto o Brasil está vulnerável a toda essa situação. De maneira geral, a maioria dos casos letais alcança pessoas idosas ou com outras complicações de saúde, colocando-os no que se chama de grupo de risco.
A capacidade de contágio do Covid-19 que desde seu primeiro diagnóstico, em dezembro de 2019, alcançou mais de 166 países e territórios, é uma situação que nos desafia e exige de nós mudanças de higiene e comportamento.
Nós não estamos imunes! Muitos dos nossos confrades e pessoas que nos ajudam e frequentam nossas casas e paróquias são idosos e idosas ou pessoas com algumas situações delicadas de saúde. Eles são os mais vulneráveis diante da sujeição que nos alcança.
Nesse momento, é importante que nossa atuação seja para conscientizar as pessoas do quanto cada uma pode se prevenir e evitar que outros também sejam contagiados. É importante também rezarmos confiantes, na esperança que Deus ajude na rápida descoberta de um antiviral. Mas temos que fazer também nossa parte. Por isso, neste momento, nossa oração poderá ser melhor aproveitada em nossas fraternidades, entre os irmãos, prevenindo-nos de qualquer exposição que acarrete risco, sobretudo aos nossos confrades idosos. É fundamental também que alertemos os fiéis e demais pessoas da necessidade de se evitar aglomerações, sair de suas casas, a menos que seja necessário, de cuidar da higienização etc. É ocasião também para pedir que, em suas casas, eles possam realizar suas orações confiantes. Deus nos escuta de onde estamos.
Em muitas dioceses têm se orientado que as paróquias, na medida em que podem, transmitam as celebrações eucarísticas pelos meios de comunicação. Essa é uma possibilidade que podemos adotar em nossas realidades, sobretudo paroquiais.
É fundamental que nos corresponsabilizemos com a nossa própria vida e a vida das pessoas. Esse é o momento de tornar concreto nosso papel de pastores e irmãos, sobretudo dos mais vulneráveis. Sejamos portadores de esperança não só pela oração, mas também pela prevenção.
Contem com minhas orações.

Recife, 19 de março de 2020

Frei João Amilton dos Santos, OFM
Ministro Provincial