,

A VIDA RELIGIOSA CONSAGRADA DIANTE DO NOVO AMBIENTE TECNOLÓGICO DIGITAL

(Por Frei Mendelson Branco, OFM)

Sem dúvidas o mundo ao nosso redor está em constante transformação, a forma de comunicar também se transforma, as novas tecnologias transformam a sociedade e dentro desta sociedade está a Vida Religiosa Consagrada. Existe um caminho de evolução histórica na forma de comunicar, que passa pela escrita, a fala, a construção de estradas, a Prensa de Gutenberg, a imprensa, fotografias, televisão até os tempos atuais com as novas mídias digitais e rede sociais. Muitas vezes esta nova forma de se comunicar com o mundo se torna alvo de muito debate. Como desfrutar de forma responsável destes novos meios de comunicação? As novas mídias e redes sociais é algo que se deve temer?

É importante debater este tema, e buscar compreender que a comunicação está constantemente em processo de mudança, não é algo estático, mas dinâmico, o homem é um ser social por natureza. Como diz o escritor Julian Marías: “A natureza social do homem se manifesta na linguagem, no dizer ou no Logos (…) O homem é o único animal que fala, e o falar é função social”.1  e nesta capacidade humana de utilizar-se da linguagem (tanto verbalizada, escrita, simbólica, digital entre outras formas de linguagem) para se comunicar, percebemos um universo em evolução.

Existe hoje uma convergência midiática, múltiplas plataformas de mídias, e como consequência múltiplos mercados midiáticos, desta forma o mercado midiático se molda de acordo com as exigências do público, como por exemplo os que buscam atender a experiência de entretenimento que seus usuários desejam. O avanço do novo ambiente tecnológico transforma também a cultura, hoje falamos de Ciberespaço, um espaço aberto pela interconexão mundial e consequentemente gera uma Cibercultura, com uma série de técnicas, práticas, atitudes e modos de pensamentos e valores.  Nessa mesma perspectiva, destacamos o pensamento de Lévy (2000, p. 26) ao enfatizar que “…uma técnica não é boa, nem má (isto depende dos contextos, dos usos e dos pontos de vista), tampouco neutra (já que é condicionante ou restritiva, já que de um lado abre e de outro fecha o espectro de possibilidades)”.2

O fato é que os novos meios de comunicação ganham espaço e se faz necessário refletir o bom uso destes novos meios, a mal utilização dos Ciberespaços, pode gerar muitas vezes bolhas sociais onde utilizar estes meios como fuga do contato pessoal para o contato digital, e o fluxo cada vez mais intenso de informações que nem sempre são confiáveis, como o fenômeno da Fakenews por exemplo. Por outro lado, a utilização madura e responsável dos meios atuais de comunicação, podem auxiliar a evangelização, e diminuir distâncias na comunicação, isto nos faz refletir as palavras do Papa Francisco em sua mensagem no 50º Dia Mundial das comunicações: “As palavras podem construir pontes entre as pessoas, as famílias, os grupos sociais, os povos. E isto acontece tanto no ambiente físico como no digital.”

___________________________________________________

1 MARÍAS, “Aristóteles”, in: História da filosofia, p. 91

2 LÉVY, P. Cibercultura. 2. ed. Rio de Janeiro: Editora 34, 2000.