,

FIÉIS DE SÃO FRANCISCO DO CONDE – BA E TRIUNFO – PE PREPARARAM TAPETES PARA A PROCISSÃO DE CORPUS CHRISTI

É costume no Brasil para Solenidade de Corpus Christi ornamentar as ruas por onde passa a procissão com tapetes coloridos e desenhos que retratam a devoção popular. E foi o que fizeram os fíéis de São Francisco do Conde – BA, e Triunfo – PE.

Na paróquia de São Gonçalo em São Francisco do Conde – BA é a primeira experiência em confeccionar os tapetes para a procissão, que contou com a participação dos grupos; Jovens em Busca de Cristo, Ministério Jovem da Renovação Carismática Católica e Catequese.  Para o Jovem Alan Barreto “a ideia é Mobilizar a juventude para a pratica da evangelização, utilizando a arte como ferramenta. Aproveitamos a festa do Corpo de Cristo e a tradicional confecção dos tapetes para isso. Juntamos os grupos de Jovens da comunidade e desenvolvemos um belíssimo trabalho, da forma que Jesus merece. A confecção foi um momento bacana de integração onde pudemos partilhar ideias e desenvolver todos juntos. Um trabalho que exigiu compromisso e dedicação de cada um, levando-nos a uma experiência de serviço a igreja e a Cristo diferente do que estamos acostumados”.

O mesmo acontece em Triunfo – PE há oito anos, pela iniciativa da Irmã Franciscana de Maristela Elma Melo, que ao ser transferida de Limoeiro – PE, para Triunfo – PE convidou os grupos de jovens da Paróquia Nossa Senhora Das Dores para o trabalho de confecção dos tapetes para “Jesus Eucarístico” passar durante a procissão. A religiosa enfatiza a marca deixada pela família Franciscana a cada ano na preparação dos tapetes demostrando o amor a Santa Eucaristia.

Os materiais usados na confecção dos tapetes levam serragem, areia colorida, papel, cola e uma variedade de materiais que misturados à criatividade dão origem a símbolos que ajudam o povo de Deus a reverenciar e adorar o Santíssimo Sacramento do Corpo e Sangue de Cristo.

A origem da solenidade de “Corpus Christi” surgiu no século 13 quando a Igreja Católica sentiu a necessidade de realçar a presença real do “Cristo” no pão consagrado. A solenidade foi instituída pelo Papa Urbano IV em 11 de agosto de 1264, para ser celebrada na quinta-feira após a Festa da Santíssima Trindade, que é realizada no domingo depois de Pentecostes.[1]

 

 

[1] http://franciscanos.org.br/?p=86868