,

SALVADOR ACOLHE SEU II ENCONTRO VOCACIONAL

No final de semana de 27, 28 e 29 de abril aconteceu o segundo encontro vocacional de 2018 do grupo de Salvador-BA, no Convento de São Francisco, localizado no Pelourinho.

Os vocacionados vieram de várias cidades da Bahia e se reuniram para conhecer mais de perto o carisma franciscano. No encontro participaram da Eucaristia, das orações e reflexões. O tema do encontro foi sobre a relação entre o Poverelo de Assis e a Santíssima Virgem.

A exemplo de Maria, Francisco se abandonou plenamente à vontade de Deus, tomando-a como modelo de santidade e serviço à vontade do Pai. Nutrido por esta paixão, São Francisco a saudava com títulos sublimes, autênticos de um poeta enamorado. A Virgem feita Igreja na qual residiu e reside toda a plenitude da graça e todo o bem, foi invocada pelo Seráfico Pai como Rainha intercessora e advogada de toda a Ordem, sentinela e auxilio perpétuo dos que a ela recorrem com a alma sedenta de conselho e misericórdia.

Através da vida de São Francisco, os vocacionados foram estimulados a fazer a síntese dos acontecimentos dos tempos, a sair do comodismo tão característico dos dias atuais e a se colocarem num processo de autoconhecimento, tão necessário àqueles que almejam a vocação religiosa.

Foi dito durante os dias de encontro que todos já nascem com um dom, uma vocação, um chamado que o próprio Deus fez e espera uma resposta generosa.

Por meio da convivência com a fraternidade de Salvador, os vocacionados tiveram a graça de experimentar a vivência fraterna e salutar do seguimento evangélico pelo testemunho dos frades ali residentes, sobretudo os idosos.

Estes acompanhamentos têm o objetivo de ajudar os jovens na descoberta vocacional, mesmo que não seja necessariamente a vocação religiosa, mas de qualquer natureza.

“Suplicamos, portanto, que a Virgem Maria seja o nosso principal modelo de vocação, e que depois do discernimento necessário, assim como ela, não tenhamos medo em responder com o nosso generoso “sim” ao chamado divino. Que continuemos apaixonados por este Deus, que se revela a nós com um coração humilde e compassivo e assim, não desviemos dele o nosso olhar”.

Paz e Bem.