Reflexão para o 3º Domingo da Quaresma

LITURGIA DOMINICAL
Frei Sérgio Moura Rodrigues, OFMsamaritana

Conhecer Jesus é outra vertente da vivência quaresmal. Dessa forma, já recebemos do próprio Filho de Deus as instruções para viver a retidão (oração, jejum e esmola), já aprendemos dele sua força e resistência contra o mal (tentações no deserto), e contemplamos a sua glória (transfiguração). No terceiro domingo da Quaresma, o Bom Mestre nos ensina que ele mesmo é a fonte de água viva que jorra para a vida eterna.

Ora, o povo no deserto teve sede e recorreu a Moisés, que, por sua vez, pediu a Deus água para aqueles que tinham sede. Ao que Deus respondeu dando água da rocha, dando condições para a continuação da caminhada, fezendo-se, Ele mesmo, rochedo salvador.  Jacó deu ao povo da Samaria, um poço. O salmista convidava para recorrer a Deus como rochedo que nos salva, e São Paulo recordou que o amor de Deus foi derramado em nossos corações. Assim, sede e água, busca e encontro, se manifestam na história da salvação, antes de Jesus, durante sua vida e depois de sua volta para o Pai. O que nos leva a compreender que a rocha é Cristo.

O Evangelho deste domingo apresenta a busca rotineira por uma água que não sacia completamente, por água que se acaba, bem como a fonte eterna que de si mesmo diz: “Se tu conhecesses o dom de Deus e o que pode te dar água viva… tu é que me pedirias”. Essa fonte é Jesus Cristo. Quem dela beber nunca mais terá sede.

Bebeu esta água a samaritana reconhecendo o Messias que, assim como o sol do meio dia ilumina tudo, iluminou toda a sua vida e saciou-a com a verdade. Esta, por sua vez convidou a outros para se saciarem, pois quem encontra a plenitude da graça, não fica com ela só pra si. Bebeu-a os samaritanos que foram ao encontro de Cristo e se encantaram com suas palavras.

Dela também bebemos todos nós que fomos batizados e abraçamos a fé, acreditando no Filho de Deus. E uma vez saciados e guiados por ele, somos convidados a ser como que pequenos canais que levam água viva para aqueles que, sedentos, se lançam ou são lançados no trafico (sendo seduzidos, explorados e feridos em sua dignidade).

Jesus! Fonte divina! Ilumina nossas vidas, liberta-nos de todo pecado, faz-nos verdadeiros adoradores de Deus, saciando-nos com a verdadeira água que jorra para a eternidade. Amém!